22/04/2020

HARAS E COCHEIRAS: COMO MANTER A EFICIÊNCIA NESTE PERÍODO?

Estamos vivenciando uma situação incomum no mundo e na economia local, mas a suplementação diária dos animais é essencial e não pode deixar de ser feita. Para esse período, além dos cuidados com a higiene pessoal orientados pelo Ministério da Saúde, temos que tomar medidas preventivas também nos haras e cocheiras. Por isso, listamos algumas dicas, desde orientações gerais sobre a rotina diária de trabalho até recomendações de dieta para o seu cavalo. Vamos lá?

 

NA ROTINA DIÁRIA DE TRABALHO:

- As cocheiras devem ficar abertas, sempre que possível, para melhor circulação de ar;

- Os equipamentos, como cabrestos, cabos, cordas, escovas, mantas, rédeas, estribos, entre outros, devem ser utilizados apenas por cada tratador e/ou cavaleiro, e não devem ser compartilhados entre indivíduos diferentes. Esses equipamentos deverão ser limpos e desinfetados diariamente;

- As superfícies, como mesas, cercas, portas de baia, portões, entre outras, deverão ser limpas e desinfetadas com frequência;

- Formulários, prontuários e outros tipos de controle por papel devem ser substituídos por arquivos em meios eletrônicos a partir do uso de tablets, e-mail, mensagem de Whatsapp, etc.;

- O número de funcionários que ajudam o veterinário ou mantêm contato com os fornecedores deve ser limitado para minimizar riscos de contaminação.

 

Veterinários e assistentes que frequentem os haras, centros de treinamento e cocheiras:

- Verificar a temperatura corporal 2 vezes por dia e evitar contato com outras pessoas caso uma febre seja detectada;

- Usar luvas e máscara quando estiverem em atendimento. Esses materiais deverão ser descartados após uso;

- Somente o assistente do veterinário deve segurar o cavalo, se possível;

- O assistente deverá trocar as luvas toda vez que mudar de um cavalo para o outro;

- Para fazer a palpação ou examinar a égua, deve-se considerar o uso de equipamentos adequados e manter a distância social definida de 1,5 metro entre os indivíduos envolvidos na atividade.

 

Demais empregados rurais:

- Verificar a temperatura corporal 2 vezes por dia e, caso uma febre seja detectada, relatar ao supervisor e não interagir demais funcionários/prestadores de serviço;

- Manter a rotina diária de trabalho sempre com as mesmas pessoas e evitar rodízio de funcionários em turnos diferentes para diminuir o contato e interação com indivíduos diferentes;

- Deve haver apenas um funcionário por cocheira ou setor, trabalhando com agentes externos como veterinários, fornecedores e prestadores de serviço;

- Praticar o distanciamento social definido de 1,5 metro entre os indivíduos.

 

SOBRE A DIETA DO SEU CAVALO:

- Durante o período de atividade física reduzida, procure aumentar a oferta de volumoso, como feno, capim fresco, pré-secado ou alfafa;

- Ao invés de trocar a ração atual por outra com menos energia, reduza a quantidade da ração que ele já está acostumado a receber. Isso evitará o stress de adaptação a um novo alimento, tanto agora quanto mais à frente,  quando ele for retornar à atividade normal. Dependendo da quantidade de atividade reduzida do seu cavalo, considere diminuir a oferta diária de ração de 15 a 20%.

 

Lembre-se: seu cavalo não transmite COVID-19 a você, portanto, sempre que possível, esteja com ele seja para soltá-lo em um piquete ou para exercitá-lo um pouco. Lembre-se de tomar todas as precauções recomendadas e higienize os materiais de uso comum na cocheira, lavando bem as mãos após tocar em portões, portas de baia e outros objetos ou locais de trânsito.

 

A implementação dessas práticas preventivas que têm como objetivo evitar a aglomeração de pessoas em áreas comuns será benéfica e fundamental para conseguirmos manter as atividades com eficiência.

 

Se tiver alguma dúvida, fale com a gente! Nosso time comercial e técnico se mantém à disposição via meios eletrônicos e pode ser contatado sempre que necessário.

 

#SEGUIMOSCONECTADOS


Compartilhe:

Siga-nos nas redes sociais!